NOTÍCIAS
08/11/2017
Código Penal: CONAMP participa de audiência pública sobre reforma legislativa.

O 1º vice-presidente da CONAMP, Victor Hugo Azevedo, participou nesta segunda-feira (07) de audiência pública para debater a reforma do Código Penal (PLS 236/2012). Promovida pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado Federal, a discussão reuniu ainda representantes de entidades de policiais, advogados, defensores públicos e juízes. O relator da proposta é o senador Antonio Anastasia (PSDB/MG).

Entre diversos pontos abordados, Victor Hugo defendeu a inclusão do plea bargaining no novo Código Penal. A medida cria a possibilidade de acordo entre o réu e o membro do Ministério Público, gerando aplicação e cumprimento imediato da pena.

“É absolutamente impensável que um sistema de justiça criminal possa funcionar se tiver que investigar através de um inquérito do século passado e processar obrigatoriamente todos os fatos delituosos ocorridos no solo brasileiro”, disse. Ao mitigar o princípio da obrigatoriedade da ação penal, a plea bargaining busca agilizar o processo judicial, reforçando os instrumentos públicos de combate à corrupção.

No entanto, o vice-presidente da CONAMP afirmou que o mecanismo não deve ser adotado em crimes contra a vida (homicídio, induzimento ao suicídio, infanticídio e aborto) em função da competência constitucional prevista para essa matéria.

Victor realçou que os efeitos positivos da medida só serão reais se houver ampla liberdade de acordo para aplicação imediata de pena.

Livramento condicional

O projeto da reforma do Código Penal (PLS 236/2012) prevê ainda a extinção do livramento condicional. Victor Hugo manifestou-se contra: “esta é uma das mais importantes etapas da execução penal por que se exercita a autodisciplina e a auto responsabilidade, condições indispensáveis para o retorno do preso à liberdade”.

Ao invés do fim do livramento condicional, o representante da CONAMP sugeriu a abolição do semiaberto. “Nós vemos o semiaberto como o principal ator de fragilidade do sistema progressivo da pena”, disse.

Outro instituto do atual do Código Penal que deveria ser abolido na reforma, segundo Victor Hugo, é a prescrição retroativa da pena. “Este ‘monstrengo’ tupiniquim é contrário ao interesse público e é causa de impunidade”. O promotor afirmou ainda que nada justifica a manutenção da ação penal privada no sistema judicial.

Comissão temática

Existe no âmbito da CONAMP uma comissão temática específica que acompanha a reforma do Código Penal. Victor Hugo é o coordenador dos trabalhos e os integrantes foram indicados pelos presidentes das associações afiliadas à CONAMP. 

 

Conamp
« Voltar
 
 
Desenvolvido pela:
Sua marca de sucesso na Internet.
Associação do Ministério Público do Amapá - AMPAP
Av. Padre Júlio Mª Lombaerd, 1570 - 68900-030
Macapá/AP - Fone/Fax: (96) 3223-7075 / Sede Campestre: (96) 3241-1200
Sistema Antistress